Finanças

Investimentos a curto, médio e longo prazo

0 minutos de leitura

25/08/22

Primeiramente, antes de conhecermos os tipos de investimentos, vamos entender o seu conceito: investir é qualquer gasto ou aplicação de recursos que produza um retorno futuro. Este conceito abrange tanto o dinheiro, quanto o capital social, natural ou intelectual.

Dois fatores essenciais para começar a investir são: saber seu perfil de investidor e a sua necessidade de retorno do investimento. Identificando esses dois fatores será mais fácil escolher o tipo de investimento ideal para você. (para seu perfil).

Basicamente, são três perfis de investidor: o conservador, o moderado e o arrojado. O conservador, como o nome já sugere, não está disposto a correr riscos, prefere aplicações mais seguras. O moderado é o tipo de investidor que fica no meio termo entre o conservador e o agressivo, está disposto a correr riscos em algumas situações. E o agressivo, diferente dos outros investidores, está disposto a correr riscos em busca de rendimentos maiores.

Assim como o risco, o prazo que você deseja resgatar o dinheiro para utilizá-lo também deve ser levado em consideração na hora da escolha do investimento. De acordo com a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), os fundamentais “prazos” para investimentos são os seguintes:

Curto prazo: até 2 anos. Neste tipo de investimento devem ser levadas em consideração duas características principais, o risco e a liquidez. Quanto maior a liquidez, melhor, e o risco nesta modalidade é recomendado que seja baixo, para evitar possíveis perdas e garantir uma rentabilidade segura. Com um prazo curto, pode ser difícil reaver rentabilidade perdida.

Médio prazo: de 3 a 10 anos. Nos investimentos de médio prazo, a liquidez não é um fator essencial, levando em consideração que se tem um período maior para manter suas aplicações. Por isso, é possível diversificar e avaliar investimentos que entreguem uma rentabilidade satisfatória em troca de menor liquidez.

Longo prazo: mais de 10 anos. Diferente dos investimentos de curto prazo, em que a liquidez é essencial, neste tipo de estratégia a liquidez não é um fator de extrema relevância. O foco é assegurar maior rendimento possível para o longo prazo.

Ficou na dúvida sobre qual tipo de investimento escolher? Confira abaixo algumas opções que separamos para você!

  • Investimentos de curto prazo: renda fixa,Tesouro Selic e fundos DI;
  • Investimentos de médio prazo: CDB, Tesouro direto, LCI e LCA, Fundos de investimentos e bolsa de valores;
  • Investimentos de longo prazo: fundos imobiliários, BDRs, renda variável, fundos de ações e previdência privada, que é uma ótima opçãopara garantir um futuro com segurança financeira, além da certeza de ter uma aposentadoria com recursos e qualidade de vida.

O nosso analista de investimentos, Luís Eduardo Nunes, tem uma dica para você que pretende fazer um investimento: “Na hora de investir é bom se atentar a rentabilidade líquida (após o desconto do imposto de renda), existem ativos que a pessoa física tem isenção sobre este tributo e outros que não há isenção, como por exemplo a LCI e LCA, esses investimentos têm isenção do imposto de renda limitado até 250 mil reais para pessoa física”.

Quer conhecer mais sobre os diversos tipos de investimentos? Acesse aqui o material que selecionamos para você! (https://www.oguiafinanceiro.com.br/textos/5-investimentos-de-medio-prazo/)

Não deixe de acompanhar o nosso blog. Toda semana iremos trazer para você um conteúdo novinho sobre educação financeira! E lembre-se, nunca é tarde para se reeducar financeiramente e para começar a investir!

Referências:

5 Investimentos de médio prazo para compor o portfólio – O Guia Financeiro

O que significa investir a curto, médio e longo prazo? | Nubank