Você tem reserva de emergência? Saiba como, onde e quanto guardar

Você tem reserva de emergência? Saiba como, onde e quanto guardar

Mesmo quando temos tudo planejado, as contas em dia e o orçamento familiar equilibrado, pode ocorrer algum imprevisto e bagunçar as nossas finanças. Pode ser algo pequeno, que seja possível resolver nos meses seguintes ou, dependendo o estrago, pode desequilibrar por um tempo significativo o orçamento familiar. Para estes imprevistos é recomendada a tal reserva de emergência.

Como o próprio nome já diz, é para emergências, ou seja, não deve ser usada nas férias, com viagens a passeio, troca do carro ou para adquirir outros bens de consumo. Controle a sua vontade de usar este dinheiro, que está guardado para emergências.

Quanto devo guardar?

Você deve fazer a conta da média mensal dos seus gastos (contas fixas e despesas variáveis). O ideal é você ter o suficiente para manter você e sua família por seis meses, caso não tenha renda nenhuma neste período. Neste caso, estamos prevendo que a emergência seja a perda da renda mensal. Mas esta mesma reserva serve também para emergências de saúde, gastos inesperados para consertos do seu carro ou da sua casa, por exemplo, crises econômicas que prejudicam os seus negócios, enfim, qualquer imprevisto que afete diretamente as suas finanças.

Mas onde devo guardar a minha reserva de emergência? Embaixo da cama? Na poupança?

Negativo! Você precisa se atentar a duas coisas principais. A primeira é guardar o dinheiro em um investimento que tenha liquidez imediata, ou seja, que você possa sacar praticamente na hora em que precisar. A segunda, mas não menos importante, é que esse investimento renda, pelo menos, 100% do CDI, assim você ainda obterá um rendimento razoável dessa reserva.

Sabendo de tudo isso, o que fazer agora?

Se você ainda não possui essa reserva de emergência, pode começar poupando aos poucos até atingir o seu objetivo. Defina um valor mensal a ser guardado e depois, se possível, vá aumentando esse valor mês a mês, fazendo isso com consciência e planejamento é possível fazer a sua reserva sem que isso atrapalhe as suas finanças.

Depois de conseguir o valor adequado para a tranquilidade da sua família, aí sim, comece a planejar voos mais altos. Sem mexer no valor guardado para os imprevistos, comece outras reservas para realizar sonhos: a compra da casa nova, a viagem de férias, a troca do carro ou qualquer outro projeto de vida. Para isso, temos outro ensinamento decisivo para acelerar e multiplicar o seu dinheiro: aprenda a investir, com cautela no início, ajuda profissional se for necessário, perseverança e foco.

E não podíamos terminar esta conversa, sem lembrar e ressaltar o item indispensável no seu planejamento de vida: a previdência complementar. Nunca se esqueça dela, inclusive quando puder, faça aportes além das contribuições mensais programadas. A previdência ELOS é um ótimo investimento, com retornos superiores aos produtos semelhantes no mercado.



Fique por dentro do que acontece na ELOS

Excelência – agora somos uma empresa certificada ISO 27001 e ISO 27701

Estamos em um seleto grupo de 133 empresas brasileiras certificadas em Segurança da Informação e somos a segunda empresa da América Latina certificada ISO 27701

Veja mais
Esclarecimentos sobre a segurança dos seus recursos na ELOS com a privatização/capitalização da Eletrobras

Esclarecimentos sobre a segurança dos seus recursos na ELOS com a privatização/capitalização da Eletrobras

Reforçamos o compromisso com a transparência e a honestidade em nossa relação

Veja mais
Atendimento presencial retorna nas segundas e quartas-feiras

Atendimento presencial retorna nas segundas e quartas-feiras

Estamos seguindo todos os protocolos sanitários e pedimos que você só venha à ELOS caso realmente seja necessário

Veja mais
Reajuste de benefícios dos Planos BD-Eletrosul, Engie e BPDS

Reajuste de benefícios dos Planos BD-Eletrosul, Engie e BPDS

Veja a tabela com o índice de reajuste do seu plano de benefícios, que será aplicado neste mês, junho/2020.  O reajuste cheio é de 8,90%, referente ao INPC acumulado de junho/20 a maio/21.

Veja mais