Forma de equacionamento do déficit de 2018 do Plano BD-ELOS/Engie deve ser aprovada até final deste ano

Conforme já explicado nas apresentações de resultados e divulgado no site da ELOS em abril e maio deste ano, os aposentados e pensionistas do Plano BD-ELOS/Engie terão que contribuir com novo ajuste para manutenção do equilíbrio financeiro do plano. Essa cobrança começará em janeiro de 2020.

 

O ajuste refere-se ao déficit técnico apurado no final do exercício de 2018 no valor de R$ 78,5 milhões, diferença entre o patrimônio do plano e o total dos compromissos financeiros com todos os aposentados e pensionistas (provisões matemáticas). 

 

A figura abaixo mostra que a reserva do plano está abaixo do limite seguro. O mínimo exigido por lei é pelo menos estar acima da linha vermelha inferior e o ideal seria estar na linha pontilhada, onde a reserva é igual a provisão de tudo que deverá ser pago em benefícios ao longo da vida de todos os assistidos. Para alcançar o mínimo exigido, deve-se equacionar o valor de R$ 28.654.554,84. Mas também é uma opção para o plano, o equacionamento de todo o déficit (R$ 78,5 milhões) para alcançar o equilíbrio ideal.

 

Situação_dez_2018

 

Os participantes deste plano já pagam outras duas contribuições extraordinárias para equacionamento de déficits dos anos de 2014 e 2015. Há duas formas de equacionamento sendo avaliadas, uma para equacionamento do mínimo exigido por lei, onde será acrescentada mais uma contribuição extraordinária (Cenário 1 da figura abaixo). A outra forma é o equacionamento do déficit total, onde todas as contribuições extraordinárias serão unificadas em uma única cobrança mensal, o que garante maior estabilidade para o plano nos próximos anos e diminui a chance de novos déficits em curto e médio prazo (Cenário 2 da figura abaixo).

formas_equacionamento

 

Hoje o aposentado ou pensionista do plano paga 5,54% do seu benefício com as duas contribuições extraordinárias (déficits de 2014 e 2015). Esse valor aumentará 0,56 ou 1,01% em 2020, dependendo da forma de equacionamento aprovada.

 

A duas formas de equacionamento já foram apresentadas pela equipe da ELOS à patrocinadora Engie. Aguarda-se um parecer dessa empresa, para que a forma escolhida seja apresentada e aprovada pelo Conselho Deliberativo da ELOS até o fim deste ano, pois a lei exige que a cobrança do déficit de 2018 já comece em janeiro de 2020.

 

Acompanhe no infográfico um retrato do Plano em dezembro de 2018 para entender melhor as causas do desequilíbrio financeiro dos últimos anos:

retrato_plano

causas_deficit



Fique por dentro do que acontece na ELOS

Em breve seus familiares também poderão ter o plano de previdência com a gente!

Novo plano instituído ELOS está quase saindo do forno. Esta nova modalidade de produto foi aprovada pelo nosso Conselho Deliberativo e seguirá para aprovação final do órgão regulador 

Veja mais
Processo de migração dos planos CGT Eletrosul está nas etapas de aprovação

Processo de migração dos planos CGT Eletrosul está nas etapas de aprovação

O estudo foi concluído e apresentado na última reunião do Conselho Deliberativo. Agora deve seguir para as instâncias de aprovação da patrocinadora.

Veja mais
Acompanhe a rentabilidade do seu Plano

Acompanhe a rentabilidade do seu Plano

O desempenho das carteiras apresentou melhora em julho, principalmente em decorrência das rentabilidades dos segmentos de renda variável e investimento no exterior.

Veja mais
Completamos um ano de gestão do Plano Único BD CGTEE

Completamos um ano de gestão do Plano Único BD CGTEE

Com avaliações positivas dos participantes em relação ao nosso atendimento, time de especialistas e estrutura de governança

Veja mais