fbpx
Finanças e previdência

Impacto ambiental: como nossas decisões influenciam na preservação do meio ambiente

Publicado em 05/06/24

Muito além das escolhas individuais, como economizar água e energia e fazer o descarte correto do lixo, nossas decisões políticas também influenciam na preservação do meio ambiente. Escolhas de investimento que priorizem gestores com iniciativas ASG também fazem diferença na preservação da biodiversidade.

A conscientização sobre a preservação do meio ambiente é um fenômeno recente na história da humanidade, algo que também se reflete no Brasil. Com a ocorrência de desastres ambientais, grandes organizações internacionais começaram notar que era necessário uma nova abordagem em suas ações. Em 1972, a Organização das Nações Unidas (ONU) realizou a primeira Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano. A partir dessa conferência, os problemas ambientais passaram a ser tratados de maneira diferente, influenciando também as políticas no Brasil.

A importância das decisões políticas na preservação ambiental

Em um mundo cada vez mais consciente de suas ações e dos efeitos delas, a necessidade de preservar o meio ambiente se tornou uma pauta crucial nas decisões de todos os segmentos, especialmente dos Governos e de grandes corporações. Essas instituições têm um papel decisivo na conservação ambiental, através de recursos que têm um efeito muito maior do que nossas ações individuais.

Decisões tomadas no campo político podem ter impactos profundos, tanto positivos quanto negativos. O enfraquecimento das políticas ambientais costuma ser justificado por ganhos momentâneos na economia, mas ignora as consequências a longo prazo. A implementação de leis que desestimulem comportamentos nocivos à biodiversidade não pode ser uma pauta secundária. Essas normas garantem que empresas e indivíduos sigam práticas que minimizem o impacto negativo. Atualmente, os impactos desse descaso já podem ser vistos através da diminuição dos mananciais, extinção de espécies, inundações, deslizamentos, aumento da poluição, destruição de habitats e, principalmente, nas mudanças climáticas, como o aumento excessivo da temperatura em vários locais do mundo.

Como exemplo de políticas, sejam elas novas ou melhorias das já existentes, que podem ajudar a diminuir a degradação do meio ambiente, temos:

  • Legislação ambiental mais rigorosa, que limite a emissão de poluentes, proteja florestas e incentive a conservação da biodiversidade;
  • Maiores incentivos fiscais para empresas que adotem energias renováveis, como solar e eólica, acelerando a transição para uma matriz energética mais limpa e sustentável;
  • Investimento em infraestruturas sustentáveis, como sistemas de transporte público e edificações que utilizem energias limpas, contribuindo para a diminuição da emissão de carbono nas cidades e na melhoria da qualidade de vida dos habitantes.

Escolhas de investimentos para um futuro mais sustentável

As escolhas de investimento também têm um impacto significativo na preservação do meio ambiente. Grandes gestoras podem dedicar capital para projetos que adotem práticas responsáveis e busquem soluções para problemas ecológicos. Aqui na Elos, uma das nossas prioridades é investir em Fundos de Investimento que seguem critérios ambientais, sociais e de governança (ASG). Estes fundos buscam projetos comprometidos com práticas sustentáveis e responsabilidade social, contribuindo para a criação de um mercado mais consciente.

Nossas ações individuais desempenham um papel importante em influenciar políticas e práticas de mercado. Através do voto consciente, podemos eleger representantes comprometidos com políticas ambientais e uma legislação mais favorável ao meio ambiente. Também podemos optar por consumir produtos e serviços de empresas que adotam práticas sustentáveis, incentivando outras empresas a seguirem o mesmo caminho. A demanda do consumidor por transparência e responsabilidade ambiental força o mercado a se adaptar a novas exigências.

Outra maneira de contribuir é espalhar conhecimento sobre a importância da sustentabilidade e das práticas ambientais saudáveis. A conscientização é o primeiro passo para a criação de uma cultura de responsabilidade coletiva, onde cada indivíduo entende e valoriza seu papel na preservação do meio ambiente e cobra o mesmo dos demais.

A sinergia dessas práticas é essencial para moldar um futuro ambientalmente mais sustentável. Governos que implementam políticas robustas, investidores responsáveis e cidadãos conscientes podem, juntos, mitigar o impacto negativo e promover um planeta mais saudável e equilibrado. É essencial que cada setor da sociedade compreenda seu papel e aja com responsabilidade para garantir que as gerações futuras herdem um mundo melhor.

Pular para o conteúdo