Finanças

Realizamos nosso primeiro aporte em um fundo de investimento no exterior

0 minutos de leitura

16/12/21

Essa é uma estratégia de alocação que já vem sendo planejada há vários meses e que foi recomendada pelo nosso Comitê de Investimentos e aprovada pelo Conselho Deliberativo

Para nossa entrada nesta nova classe de ativos, optamos, após conhecermos vários fundos e gestoras, pela constituição de um fundo exclusivo sob gestão da asset Schroder Investment Brasil. Neste tipo de fundo há um único cotista, neste caso somos nós, o que possibilita a customização da carteira de acordo com as nossas diretrizes, mais flexibilidade no regulamento do fundo para atender às nossas especificidades, temos mais margem para negociação de taxas melhores e ainda a opção de troca do gestor caso o fundo não esteja  atendendo as nossas expectativas.

O primeiro aporte no valor de R$ 56 milhões foi realizado dia 14/12/21. Deveremos aplicar ao todo cerca de R$ 135 milhões neste fundo, que está na carteira de investimentos dos Planos CD, ELOSPREV, BD Eletrosul e BD Engie. “Esta alocação tem como objetivo a diversificação da carteira de investimentos, acesso a mercados com boas expectativas de retorno, baixa correlação com os ativos domésticos e baixa concentração em classes de ativos ou regiões geográficas”, salienta nosso Gerente de Investimento, Rogério Brenand Pazzim.

Após meses de estudos e análises sobre o assunto, o tema foi apreciado e aprovado por todas as instâncias da nossa governança. A estratégia de alocação está em linha com a alocação alvo estabelecida nas Políticas de Investimentos dos planos de benefícios, bem como com os estudos de Asset Liability Management (ALM) dos planos BD Eletrosul e Engie.