INSS: Entenda a revisão do teto da aposentadoria

A revisão foi anunciada no mês de julho pelo ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves, e deverá beneficiar 131 mil pessoas com valores retroativos a serem pagos pelo governo aos aposentados e pensionistas.

 

À pedido de alguns participantes, a ELOS encontrou uma matéria (publicada no portal G1 da Globo.com) com as 13 principais perguntas sobre a revisão do teto pelo INSS. Vale a pena conferir!

 

1. Por que está sendo realizada esta revisão?

Em 1998 e em 2004, as emendas 20/1998 e 41/2003 aumentaram o valor máximo dos benefícios pagos pelo INSS. Quem já tinha se aposentado com o teto anterior, no entanto, não teve o benefício recalculado e foi prejudicado, segundo o entendimento da Justiça.

 

2. Por que esses aposentados foram prejudicados?

A Previdência calcula o valor da aposentadoria na aposentadoria por tempo de contribuição aplicando o fator previdenciário à média dos salários de contribuição do trabalhador. Esse valor é limitado pelo teto, e o que ultrapassar esse limite é descartado no cálculo. Quando o valor do teto foi elevado, quem já tinha o benefício limitado não teve o valor revisado.

 

3. Por que o pagamento será feito?

O Ministério da Previdência vai cumprir uma decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em setembro do ano passado.
A decisão do STF entendeu que, quando houver elevações do teto além da inflação, como as ocorridas em 1998 e 2004, essa diferença que o aposentado ou pensionista deixou de receber deve ser usada para rever o beneficio.

 

4. De quanto será o reajuste?

O aumento médio no valor dos benefícios será de R$ 240, segundo o Ministério da Previdência.

 

5. Quem tem direito ao reajuste?

Aposentados e pensionistas que começaram a receber o benefício entre 5 de abril de 1991 e 1º de janeiro de 2004 e foram limitados pelo teto da Previdência (valor máximo pago pela Previdência Social), mas que tinham renda mensal superior ao teto antigo. Serão reajustados 117.135 benefícios ativos.

 

6. Quando será feito o reajuste?

O benefício do mês de agosto, pago até o quinto dia útil de setembro, já será acrescido do reajuste.

 

7. E quando serão feitos os pagamentos dos atrasados?

O INSS também vai pagar valores retroativos a 131.161 beneficiários, que deixaram de receber pelos novos tetos.

 

8. Qual o valor dos pagamentos retroativos?

Segundo a Previdência, o valor médio dos atrasados a serem pagos é de R$ 11.586,00.

 

9. Quando será feito o pagamento dos valores atrasados?

 

O INSS propõs que o pagamento seja feito em quatro datas diferentes:

31/10/2011 para os que têm direito a receber até R$ 6 mil
31/05/2012 para quem é credor de um valor na faixa entre R$ 6.000,01 até R$ 15 mil
30/11/2012 para os valores entre R$ 15.000,01 e R$ 19 mil
31/01/2013 para os créditos superiores a R$ 19 mil.
10. Como posso consultar para saber se sou um dos contribuintes a ter direito à revisão?

 

Basta entrar em contato com o INSS pelo 135, mas, conforme publicado pela mídia, há muitas reclamações de telefone ocupado. Outro meio é acessar o link http://www010.dataprev.gov.br/cws/contexto/consit02/index.html

 

AVALIE – Este conteúdo foi útil? Envie sua sugestão para dfurlan@elos.org.br ou clique aqui.



Fique por dentro do que acontece na ELOS

Cadastro de Assinatura eletrônica em nosso Portal

Faça a sua! É rápido, fácil e seguro.

Veja mais
Conheça o primeiro participante do Plano ELOSPREV CGT Eletrosul

Conheça o primeiro participante do Plano ELOSPREV CGT Eletrosul

Willian Raposo de Medeiros, 34 anos, é o primeiro participante do Plano ELOSPREV CGT Eletrosul. Ele, que é técnico eletrotécnico na área de manutenção da Usina Térmica de...

Veja mais
Revisão Anual do Perfil de Investimento

Revisão Anual do Perfil de Investimento

Os participantes ativos e assistidos do Plano CD podem solicitar a troca de perfil durante o mês de maio. Você sabe como solicitar a alteração do seu perfil?

Veja mais
Suspensão do pagamento do seu empréstimo por três meses

Suspensão do pagamento do seu empréstimo por três meses

Em decorrência da pandemia, vamos oferecer novamente este ano a possibilidade de suspensão excepcional

Veja mais