Plano BD CGTEE: cobrança do equacionamento do déficit de 2015 volta a ser descontada em novembro

Plano BD CGTEE: cobrança do equacionamento do déficit de 2015 volta a ser descontada em novembro

Em fevereiro deste ano, as cobranças referentes ao equacionamento do déficit de 2015 haviam sido suspensas em decorrência da necessidade de recálculo para adequação à legislação vigente, além de outras questões que envolviam a aprovação deste equacionamento pelas instâncias responsáveis, que naquela ocasião nos referíamos à SEST (Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais), conforme matéria divulgada em nosso site (clique aqui para ler). 

Com a capitalização da Eletrobras, a SEST se manifestou sobre não ter mais competência para aprovar a matéria ficando a cargo das instâncias de governança da Fundação e da Patrocinadora aprovarem e darem prosseguimento na cobrança das contribuições extraordinárias. Considerando que as aprovações já haviam sido realizadas por parte da ELOS e da patrocinadora, estamos aptos a retomar as cobranças, o que pretendemos fazer na folha de novembro/22. 

A patrocinadora já começou a pagar sua parte deste déficit em outubro, efetuando, inclusive, o pagamento retroativo referente a todo o período em que os participantes pagaram antes da suspensão, período em que a patrocinadora não pôde contribuir pois a SEST ainda não havia aprovado o plano de equacionamento.  

Além do recálculo já explicado na matéria divulgada em fevereiro, o que muda é a forma de cobrança dos participantes. Há uma alíquota de desconto para ativos e outra para assistidos, seguindo a legislação vigente que prevê a proporcionalidade do déficit em relação às provisões matemáticas de cada grupo. O participante ao se tornar assistido passa a descontar pela alíquota do assistido.  

Alíquota de desconto para ativos = 1,22% 

Alíquota de desconto para assistidos = 5,30%

 

Relembrando: 

Com a revisão, o valor objeto de equacionamento original de R$ 23.939.593,58, sem considerar o excedente de rentabilidade, foi atualizado pela meta atuarial do plano até 31/12/2020, que resultou no montante de R$ 38.830.271,64, sendo 50% de responsabilidade da patrocinadora e 50% de responsabilidade de participantes ativos e assistidos

As contribuições mensais extraordinárias pagas pelos participantes ativos e assistidos, de janeiro/2017 a dezembro/2021 foram atualizadas pela meta atuarial do plano e deduzidas do valor total a ser pago pelo grupo, respeitando, assim, a paridade contributiva. 

Em contrapartida, com a revisão do plano de equacionamento 2015 e atualização do montante a ser equacionado, o déficit do exercício de 2020 foi reduzido para R$ 8.947.625,46, valor abaixo do limite de déficit técnico permitido pela legislação e, por consequência, deixou de ser necessário a implementação de plano de equacionamento do exercício de 2020. 

 

Qualquer dúvida, entre em contato com a gente! 

0800 709 7576
WhatsApp:  (48) 9 9974 0740
[email protected] 



Fique por dentro do que acontece na ELOS

Abrimos leilão para venda de três imóveis

A venda destes imóveis faz parte do nosso plano de desinvestimento imobiliário

Veja mais
Horários de atendimento em dias de jogos do Brasil

Horários de atendimento em dias de jogos do Brasil

Fique atento aos horários de atendimento diferenciados em dias de jogos do Brasil nas oitavas de final da Copa 2022!

Veja mais
Plano CD – Prazo para alteração de percentual termina final de dezembro

Plano CD – Prazo para alteração de percentual termina final de dezembro

O novo percentual solicitado passa a valer a partir de janeiro de 2023.

Veja mais